Opções

Outros Conceitos Importantes

Para entrarmos de vez no mundo das opções existem outros conceitos e definições que temos de abordar. Primeiramente, em relação à modalidade de exercício uma opção pode ser:


  • Tipo americana: Este tipo de opção pode ser exercida em qualquer momento dentro de seu prazo de existência.
  • Tipo européia: Este tipo de opção permite o exercício apenas na data de expiração, ou seja, no dia do vencimento.

As opções tipo americanas são as mais comuns e possuem um valor teórico normalmente maior, pois oferecem a flexibilidade de realização do exercício, a qualquer momento, por parte comprador da opção.


Relação com o Preço de Exercício


Entre os fatores mais importantes que o investidor de opções deve compreender está o relacionamento entre o valor de exercício de uma opção e o valor de mercado da ação. Temos, neste contexto, três situações em que uma opção pode estar localizada. Suponha que uma ação esteja sendo negociada a R$30,00, neste caso:

  • uma opção de compra com valor de exercício menor que R$30,00 é classificada como in-the-money.
  • uma opção de compra com valor de exercício de R$30,00 é classificada como at-the-money.
  • uma opção de compra com valor de exercício maior que R$30,00 é classificada como out-of-the-money.

Para opções de venda a classificação é ao contrário. A opção, por exemplo, será in-the-money se o valor de exercício for maior que R$30,00. Mas, por que essa taxonomia é importante? Como veremos adiante, de acordo com a situação da opção, fatores relacionados com sua evolução de preços (e nossas estratégias) podem mudar significativamente.


Preço da Opção: Valor Intrínseco e Temporal


O preço (P) de uma opção é composto por dois componentes básicos, o valor intrínseco (VI) e o temporal (VT):


P = VI + VT


O valor intrínseco corresponde à parte in-the-money do preço. Assim, se a ação estiver sendo negociada a R$30,00 e a opção de compra possuir um preço de exercício de R$26,00, o valor intrínseco da opção é R$4,00. Se, nessa mesma situação, a opção estiver valendo mais que R$4,00 isso significa que ela possui também um valor temporal. O valor temporal é, portanto, a parte do preço que excede o valor intrínseco. Neste nosso exemplo, se o preço da opção for R$5,00, o valor temporal é de R$1,00.


A razão de existência do valor temporal é simples, podendo ser comparada com uma compensação pelo risco. Seguindo com nosso exemplo, as ações que estão custando R$30,00 podem despencar e em certo tempo estarem valendo R$20,00 (por que não?). Neste caso o dono das ações perdeu 1/3 do valor e pode perder ainda mais se a queda continuar. O comprador da opção, ao contrário, possui o risco único do prêmio pago pela opção e esse é o máximo que ele pode perder. Dessa forma, o valor temporal reflete um valor que o mercado coloca a mais, reconhecendo o fato de o comprador da opção estar em uma condição de risco teoricamente menor.


Uma questão que vale a pena ressaltar é que o valor intrínseco ou temporal podem ser zero. Se uma opção está out-of-the-money, ela não possui valor intrínseco apenas temporal. A situação ao contrário acontece quando a opção está operando em paridade. A situação de paridade ocorre quando estamos próximos ao vencimento e uma opção está tão in-the-money que o mercado sabe que é apenas uma questão de mais algumas horas para que as opções transformem-se em ações. Neste caso, o valor temporal é zero existindo apenas o componente intrínseco.


No próximo capítulo vamos mergulhar mais a fundo na análise dos elementos que formam o preço teórico de uma opção.




O que é uma Opção? Opções: Formação do Preço

Fique por dentro do mercado financeiro assinando nossa Newsletter.


Av. Carlos Gomes, 300, 10º andar.
Porto Alegre - RS, Brasil
(51) 3023-8272 comercial@nelogica.com.br

Carregando...